Missão Gourmet

Missão Gourmet

Missão Gourmet: Dezembro

por Dannilo Rocha, em 2014-12-18 00:00:00

Dezembro. O mês que nos assusta pois é o derradeiro, o último, the last breath of the year (joga no google tradutor). Que sempre deixa a pergunta: O que eu realmente fiz da minha vida nesse ano? E o que eu farei para o ano vindouro? Aquele mês que chega de mansinho como todos os outros, mas jamais deixaremos de exclamar: "Puta veio, mas já acabou o ano. Tamisera que passou rápido!" 
 
Além disso é o mês que terá com certeza na mesa da maioria dos brasileiros: o Peru, o salpicão, a farofa com passas e alguma salada com rosas feitas da casca de tomates.Eu tenho que lhes ser sincero, é por essas e outras que eu olho pro Natal como Miranda Presley do Diabo Veste Prada caso me visse calçando Crocs. Para bom baiano que sou, farofa é uma das melhores invenções do mundo, mas com passas ela nada mais é que sua prima Paula Fernandes. Acho passas mais cafona do que sapato caramelo com cinto combinando. 
 
 
Em época de Natal nos deparamos com cartões musicais. A pessoa que inventou cartões musicais certamente ama farofa com passas e usa irremediavelmente todos os anos o seu mocassim caramelo com franja combinando com o cinto. É no Natal que deixamos Simone ~cada vez mais rica, ela está poderosíssima~ pelos direitos autorais da repetição do seu hit em looping infinito em shoppings centers e afins. Nem se ressuscitarmos Elis Regina, e ela cantar "Então É Natal" com Maria Bethânia, Gal Costa e Zizi Possi esta canção estará a salvo minha gente. 
 
O Natal é um desolador de almas. Além de ser o responsável por desmembrar famílias de perus e chesters, é quando sentimos falta dos ausentes. Aqueles com quem dividiríamos sorrindo o mesmo prato de farofa com passas e articularíamos alguma besteira enquanto seguramos as coxas do papai peru, e Roberto Carlos cantando na TV mesmo que ninguém esteja realmente prestando atenção. Trocaríamos abraços neste calor de dezembro, muito bem empacotados, em um ambiente climatizado por pisca-piscas de lâmpadas incandescentes e velas que lacrimejam. Pinheiros de plástico com aplicação de tinta branca imitando a neve e fazendo a gente sentir saudades do Polo Norte mesmo sem nunca ter estado lá. 
 
O Missão Gourmet depois deste desabafo não tem escapatória senão sugerir uma alternativa à farofa com passas na sua ceia. A minha sugestão é: sempre procure servir pratos que sejam saborosos e apresentáveis ainda frios ou planeje o horário em que irá servir a ceia com os pratos quentes. Por exemplo, programe o tempo de cozimento do peru pra que a carne mantenha suculência, e uma dica boa é: depois dele assado envolva-o com papel alumínio e deixe descansando meia hora, uma no máximo antes de servir. 
 
Uma das ceias de Natal mais bacanas em que estive presente teve clima de happy hour e foram servidos petiscos e biritas sem o compromisso do jantar. O prato que neste dia ganhou o meu coração foi um carpaccio de carne. 
 
Depois deste depoimento amargo claro que iria sugerir uma receita com sangue, alok. A receita é simples. E mesmo os que torcem o nariz pra ideia de comer carne crua podem se surpreender. O segredo basicamente do prato é a técnica de cortar a carne em lâminas muito finas, e não tem nada de sangue. O corte da carne geralmente escolhido é o lagarto, mas pode ser filé ou até mesmo carne de cordeiro. Compre uma peça inteiriça sem gordura e dê uma leve congelada. Leve a um açougueiro de sua confiança e peça pra ele mandar ver no esmeril. Ou você mesmo pode fazê-lo em casa com uma faca bem afiada. Há quem prefira temperar a carne antecipadamente, há quem prefira selar, eu particularmente não vejo necessidade. 
 
O que oferecerá sabor a carne é o molho. O tradicional que acompanha o prato leva azeite, limão, ervas a gosto, mostarda dijon e alcaparras, ou então prepare um pesto. Sirva com queijo parmesão ralado ou um mix de queijos salgados, como parmesão, pecorino, ricota defumada... 
 
Merry Xmas.