Mesa 51

Mesa 51

Mesa 51: Tem nerd no buteco!

por Rubens Freitas, em 2014-11-24 00:00:00

Quem disse que nerds e mesa de boteco não combinam? E pode ter certeza que se em um grupo de amigos reunidos num bar estão presentes dois ou mais nerds, o assunto com toda certeza vai passar pelos quadrinhos ou pelos seriados. E se forem seriados baseados em revistas em quadrinhos então, o assunto vira a madrugada entre um copo e outro. 
 
"Um Brinde ao Mesa 51!" - Darth Vader
 
No meu primeiro texto para essa coluna nerd do Buteco (já rolou texto meu no receita foto a foto), eu não poderia escolher um assunto diferente poderia? Quadrinho e seriado é uma mistura que tem tudo para dar muito certo e tudo para dar muito errado (vide Smallville que é uma das piores séries já inventadas – prevejo linchamento gratuito). E, para a alegria geral de todos os nerds e viciados em quadrinhos do mundo, 2014 foi o ano de algumas estreias muito interessantes. 
 
Para os fãs do Batman (Eu! Eu! Eu!) Gotham foi o seriado mais esperado de todos os tempos. Baseado nos quadrinhos “Ruas de Gotham”, a produção conta a história do dia a dia da polícia de Gotham City (aqui entra o já conhecido Jim Gordon) contra o crime organizado que manda na cidade. O Batman não deve aparecer no seriado (sem choros por favor), mas as influências e a origem do homem morcego podem ser acompanhadas na infância de Bruce Wayne, que tem seus pais assassinados no primeiro episódio para dar um start na série. Além disso, vários vilões já deram as caras no seriado – aqui cabe um “o Pinguim tá foda!!” – e, mesmo que o seriado não seja um Braking Bad (<3), vale muito a pena assistir. 
 
Outro personagem da Detective Comics (DC) que deu as caras na telinha recentemente foi o Flash! Um spin-off (quando uma série é derivada de outra) de Arrow, The Flash conta a história de Barry Allen, um cientista forense que recebe os poderes de supervelocidade com um acidente, tornando-se o Flash, o super-herói protetor de Central City. É um seriado bem meia boca (assim como Arrow – prevejo linchamento gratuito mais uma vez) com uma fórmula que se repete em todos os episódios: Aparece um metahumano (gente com poder especial que se você também assistia superchoque no SBT vai se lembrar do termo), o Flash e sua equipe apanham dele, depois descobrem como derrota-lo, Barry Allen sofre com dor de cotovelo e acaba o episódio. Recomendo porque sou fã do flash, mas só por isso. 
 
Se você é fã daquela porcaria chamada Supernatural (agora pode chamar a ambulância porque com certeza o linchamento vai acontecer), prepare-se para um seriado com espíritos, demônios e artes das trevas de qualidade! Constantine, que não, não é com o Keanu Reaves, é baseado nos quadrinhos Hellblazer do selo Vertigo (o lado mais legal da DC) e conta a história de Jonh Constantine, caçador de demônios e mestre das artes das trevas. Com ironia e uma sagacidade perversamente impertinente, o “heroi” desse seriado vai atrás de demônios para exorcizá-los e manda-los de volta para o quinto dos infernos com o objetivo de tentar salvar sua alma já condenada a fazer companhia a eles. O seriado não é tão bom como eu disse no começo do parágrafo (era só para pirraçar os fãs de Supernatural) mas também não é ruim. Recomendo porque Constantine é um dos personagens mais bacanas já criados. 
 
Das que já estão no ar há algum tempo temos Arrow (blé), The Walking Dead (que apesar de adorar os zumbis e achar que o fim está próximo e que com certeza terá zumbis envolvidos, eu não consegui passar da primeira temporada) e Marvel Agents of S.H.I.E.L.D (que não é baseada em quadrinhos mas que acaba girando em torno desse universo). Das que ainda estão por vir, teremos iZombie, Preacher, Defensores, Agente Carter, The Spectre, Ronin, DMZ, Lucifer, Titans e Super Girl. Como o texto ficou grande demais, essas ai ficam para outra oportunidade! 
 
Nos vemos, lemos, sei lá, semana que vem!