Ctrl+C/Ctrl+V

Ctrl+C/Ctrl+V

Cerveja engorda sim, mas não precisa cortar o álcool para emagrecer.

por Luciana Levy, em 2017-10-02 00:00:00

Certa vez, na minha primeira visita a uma nutricionista, tive que relatar meus hábitos alimentícios. “Adoro salada, não vivo sem doce, sempre mais sal!” Tudo parecia bastante aceitável dentro das expectativas de uma paciente de primeira viagem até começarmos a falar das bebidas. Contei, “bebo só água, chá e álcool”. Nunca vi uma pessoa com cara de espanto maior que a Dra. Ana Maria naquele dia! Aí ela começou a rir. Disse que achou que eu diria algo bem nobre, “só água e chá”, até eu falar que bebo… e não é pouco! Bom, sempre soube que cerveja engorda, e muito (costumo chamar cerveja de “pão líquido” haha), mas por sorte não sou muito fã da bebida. Prefiro drinks e vinho, mesmo, e como falei para a nutri que não cortaria o álcool de jeito nenhum, resolvemos dar um jeito de incluí-lo na dieta algumas vezes por semana.




Primeiro ponto: cerveja engorda sim, mas na verdade toda bebida alcoólica é rica em calorias. O problema da cerveja é que ela é levinha, fácil de beber e por isso, acabamos consumindo muito mais do que quando estamos bebendo uma dose de vodka, por exemplo, e uma noitada de cerveja por ser um verdadeiro estrago para a dieta. Pense assim: um copo de cerveja ou chopp tem, em média, 100 calorias enquanto um copo de vodka só com gelo tem umas 70 calorias. A diferença não é TÃO grande assim, né? Agora pensa, você está lá no bar com os amigos ou aquele gatinho – chegaram por volta das 20h e ficarão até meia-noite. Quantos copos de ceveja vão para dentro sem a gente pensar? 6? 8? São até 800 calorias em quatro horas, um verdadeiro desastre para a dieta! Já quem pede uma vodka acaba conseguindo consumir bem menos, no máximo três doses (sei que vocês são fortes!): 210 calorias. Sentiu a diferença?

Quando eu comecei a fazer dieta eu acostumei a beber vodka pura com bastante gelo, porque quando a gente começa a misturar bebidas como suco de laranja, de cranberry ou fazer caipiroskas com açúcar, acrescentamos um montão de calorias e aí a dieta vai pro espaço do mesmo jeito. Sei que esse método não é para todos – a maioria das pessoas me acham uma louca bebum, mas na verdade acabo ficando em duas doses para uma noite inteira, fico menos bêbada e mais magra que todo o resto da galera e ainda escapo da ressaca! Mas para quem não consegue, há uma ótima solução: peça uma caipiroska de alguma fruta bem leve (limão, abacaxi, morango) feita com adoçante (ou sem adoçar) que você acrescenta poucas calorias e ainda ingere uma boa dose de vitamina C. Cerveja matando a dieta nunca mais!

Para quem não consegue beber vodka mas também quer fugir da cerveja, sakê e vinho são ótimas opções. O sakê é uma das bebidas alcoólicas menos calóricas e é facinho de beber, enquanto o vinho, apesar de ter mais calorias, é muito rico em resveratrol e polifenóis, antioxidantes poderosos, e em ferro. Como qualquer bebida alcoólica, deve ser consumido com moderação, mas aí entra a minha teoria das calorias… é muito mais difícil consumir 8 taças de vinho do que 8 copos de cerveja, né?

Para ajudar na hora de beber, aí vai as calorias de uma dose média de cada bebida alcoólica:



Além de escolher bem a bebida para não estragar a dieta, tenho outras dicas para as que não querem abrir mão nem da bebida e nem de ser magra:

– Intercale sempre um copo de água entre as bebidas. Além de beber menos, você ainda garante uma manhã sem ressaca!

– Tome cuidado com os petiscos que acompanham a bebedeira. O ideal é não comer nada na hora que for beber, e existe uma explicação muito boa para isso: álcool é carboidrato que será usado como energia pelo seu corpo quando você está bebendo. Se você ainda ingerir mais calorias além do álcool enquanto está bebendo, terá mais energia disponível do que você gastará e acabará acumulando essas calorias a mais como gordura no corpo.

– Mais uma boa razão para não comer enquanto bebe: perdemos o juízo quando estamos alegres e com o juízo vai-se a dieta: “Ah, só uma coxinha pode” “Um pedaço de queijo não tem problema!” “Ah, batata frita só quando estou bebendo, não tem problema!”. Assim nem adianta cortar a cerveja!

– Se você souber que tem uma noite de bebedeira pela frente, faça exercícios intensos algumas horas antes. Assim seu metabolismo estará acelerado e conseguira lidar melhor com as calorias a mais.

– Eu conto calorias sim. Quando vou beber, corto cinquenta calorias de cada refeição (tiro uma clara de ovo do omelete de manhã, meia colher de sopa de azeite da salada do almoço, etc.) e, com 250 calorias economizadas, sei que posso beber tranquilamente três doses de vodka, três tacinhas de vinho, etc. Lei da compensação sempre!

Cerveja engorda, mas não é a única opção. Com a ajuda de uma nutricionista, um pouco de jeitinho e umas boas dicas amigas, dá sim para emagrecer sem abrir mão daquela bebidinha que nos faz tão bem para a alma. Hoje eu bebo uma taça de vinho duas ou três vezes por semana e na maioria dos finais de semana, escolho um dia para beber um pouco mais. Nesse dia, sigo essas dicas e dá tudo certo, meninas!

Bônus videozinho!